BRASIL, Centro-Oeste, BRASILIA, Mulher, de 36 a 45 anos
MSN - bianadf@hotmail.com

 

   

    UOL
  UOL SITES
  Adoro Fazer Amigos
  Afrodite
  Anink Marink
  Asterix
  A tonga
  O Avesso da Palavra
  Chance
  Devaneios de Amor
  dia de Crises
  Dilemas de Uma Rosa
  Ecos da Mente
  Fel
  Felicity Craft
  Hgasolim
  Do outro Lado das Teclas
  Magra Emergente
  Menage à Trois
  Morcego no Ar
  Mundo Cruel
  No one Knows
  Pequenos Instantes
  Pequi Up
  Quase memória
  simplesmente Lolli
  solidariedade
  trakineiros
  Lili Carabina
  Metaphoras
  Letras ao Acaso
  Embaixatriz do Brasil
  Sapatinhos Vermelhos
  Janelas Abertas
  Quase Terminado
  kikah


 

    28/05/2006 a 03/06/2006
  19/03/2006 a 25/03/2006
  12/03/2006 a 18/03/2006
  24/04/2005 a 30/04/2005
  16/01/2005 a 22/01/2005
  21/11/2004 a 27/11/2004
  24/10/2004 a 30/10/2004
  10/10/2004 a 16/10/2004
  26/09/2004 a 02/10/2004
  19/09/2004 a 25/09/2004
  12/09/2004 a 18/09/2004
  05/09/2004 a 11/09/2004
  29/08/2004 a 04/09/2004
  22/08/2004 a 28/08/2004
  15/08/2004 a 21/08/2004
  08/08/2004 a 14/08/2004
  01/08/2004 a 07/08/2004
  25/07/2004 a 31/07/2004
  18/07/2004 a 24/07/2004
  11/07/2004 a 17/07/2004
  04/07/2004 a 10/07/2004
  27/06/2004 a 03/07/2004
  20/06/2004 a 26/06/2004
  13/06/2004 a 19/06/2004
  06/06/2004 a 12/06/2004
  30/05/2004 a 05/06/2004
  23/05/2004 a 29/05/2004
  16/05/2004 a 22/05/2004
  09/05/2004 a 15/05/2004
  02/05/2004 a 08/05/2004
  25/04/2004 a 01/05/2004
  18/04/2004 a 24/04/2004
  11/04/2004 a 17/04/2004
  04/04/2004 a 10/04/2004
  28/03/2004 a 03/04/2004
  21/03/2004 a 27/03/2004
  14/03/2004 a 20/03/2004
  07/03/2004 a 13/03/2004
  29/02/2004 a 06/03/2004
  22/02/2004 a 28/02/2004
  15/02/2004 a 21/02/2004
  08/02/2004 a 14/02/2004


 

   

   


 
 
Arabella Bella



Vidas difusas...



Conversaram longamente durante a noite. Fazia tempo que não se davam aquele tempo, aquela oportunidade para se (re)conhecerem. Era mesmo isso que acontecia. Arabella olhava para sua irmã com uma ternura quase maternal. Apesar de ser mais nova, ella sentia Isabella frágil, perdida, uma criança quase que pede a ajuda sem saber bem ao certo por que nem para quem. O olhar... Ah, o olhar dizia muita coisa para a bella. Ela na iris que ela identificava as pessoas, suas angústias, seus momentos. O olhar, para a bella, era quase como um revelador da foto da alma. Não tinha muito essas coisas de ser sensitiva ou mesmo capacidade mediúnica (não declaradamente). Mas, gostava de olhar nos olhos.

Algumas vezes, admitia, incomodava o olhar das pessoas adentrando ao seu diretamente. Era cortante e com algumas pessoas sentia uma sensação de invasão. Ficava desnorteada.

Mas, o olhar era simplesmente tudo. Ela que vivia na eterna busca por tudo não conseguia furtar-se a olhar as pessoas nos olhos

Naquele dia, quando encarou sua irmã, entristeceu. Não viu vida em seus olhos. Viu o cinza, o nublado, viu o fog. O olhar era quase distante, solto, tremido, infantil. ‘Aonde estaria sua irmã naquele momento em que conversavam? Por onde sua vida ‘errou’ e se perdeu? Ou, será que se encontrara em outras esferas?’, perguntas que martelavam a mente da bella enquanto conversava com Isabella.

Sentiu uma vontade forte de abraça-la e dizer:

- venha, fique aqui, quietinha, lhe protejo, tudo vai dar certo.

Era nessas horas que ella tinha vontade de refazer as vidas, histórias, momentos. Tinha vontade de, pelo menos, ajeitar a vida dos que amam. Sua irmã estava enfrentando momentos difíceis. Se refugiara em fugas, escapes que a faziam acreditar em realidades diversas, difusas...

- Eu admiro você, bella. Sempre tão forte e decidida. Quando se separou do seu marido, decidiu, fez e foi em frente, disse Isabella.

Era a primeira vez que Arabella ouvia aquelas palavras. Tomou até um susto. Sempre se sentira meio boba perto de sua irmã. Achava que ela a considerava uma metida e que por isso afastara-se dela. Não sabia, naquele momento, na verdade, o que era verdade ou imaginação de sua cabeça. Decidiu, que iria ajudar sua irmã. Tinha que ajudar. Mas, como? Ela parecia tão confusa, tão afundada em si mesmo. Precisava achar uma brecha que a fizesse chegar perto da essência de Isabella. Não sabia se conseguiria....

///~..~\\\



Escrito por Arabella às 18h27
[   ] [ envie esta mensagem ]





[ ver mensagens anteriores ]